Nosso Blog

Reaproveitamento da madeira

Rodeado pela natureza, o terreno onde será construído o Vita Nature possui algumas árvores de grande e médio porte que precisam ser retiradas, a maioria por se tratar de espécies exóticas como pinus, palmeira, mangueira e abacateiro; e outras que além de serem exóticas são também invasoras, como a espatódea.

Numeração das espécies

A supressão das árvores iniciou-se com a catalogação das espécies, que incluiu nome científico, família botânica, nome popular, origem, altura, DAP (diâmetro à altura do peito), volume de tora e volume de lenha. Assim como o mapeamento de cada espécie arbóreo no terreno, sua numeração e etiquetagem.

O processo de retirada das árvores foi protocolado no mês de janeiro de 2020 na prefeitura de São José dos Campos e, após sua permissão, iniciou-se a supressão das espécies em fevereiro de 2021.

Primeiramente realizou-se a poda das árvores, parte desse material foi triturado no próprio terreno e parte foi enviado para a Ecovale Soluções Ambientais, empresa especializada na briquetagem e compostagem desse material. Ambas as soluções foram importantes no planejamento da obra, cada uma com suas vantagens e desvantagens.

Compostagem no canteiro

A trituração do material no local, apesar de menos eficiente, evita o transporte e nos permite reutilizar o material de forma gradual, na medida do desenvolvimento do canteiro de obras. Em contrapartida, o endereçamento de parte do material para a empresa especializada nos permitiu a imediata limpeza do terreno e a compostagem desse material de forma mais rápida e eficiente.

É importante, entretanto, atentar-se para a proximidade e idoneidade da empresa de destino. No nosso caso a Ecovale está a apenas 14Km da obra, e nos fornece o certificado de destinação ambiental do material.

Em relação a questão social, a adoção das duas soluções nos permitiu tanto a sensibilização ambiental dos colaboradores do canteiro de obras, quanto o fomento da compostagem no município de São José dos Campos.

Troncos de ingazeiro

Com o objetivo de endereçar para a madeira o destino mais nobre possível, parte dos galhos e troncos com diâmetro acima de 10cm foram cortados e fatiados em “bolachas” com 8cm de espessura. Elas serão utilizadas na composição do piso de entrada das residências e da fachada do Vita Nature. As toras dos pinheiros foram fatiadas em pranchas e caibros que serão utilizados na fabricação de guarda-corpo das casas do ecoresidencial.

Tora de Pinheiro

Os troncos das Espatódeas e Seaforcias, espécies exóticas, serão reutilizados na fabricação dos mourões para fechamento da APP e proteção das mudas do pisoteio de pessoas e animais.

Com essas ações, que fazem parte do nosso plano de gerenciamento de resíduos da construção civil (PGRCC), esperamos contribuir ambientalmente de forma efetiva e educacional, uma vez que os materiais lenhosos que seriam descartados, transportados ou incinerados, puderam ser reaproveitados em escala considerável dentro do próprio empreendimento gerando ao final do processo benefícios sociais, ambientais e econômicos.

Texto de Thais Firmino Cerveira Haroldo Mota.

Acompanhe nossas redes sociais para saber mais sobre as construções sustentáveis e todos seus benefícios ambientais, sociais e econômicos!

 

Esta gostando do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin